domingo, 13 de Abril de 2014

Lá fora...

Belo livro para ver, aprender e levar para o campo.
Nesta obra há muita informação útil, curiosidades e guias de identificação de muitos animais, bem como plantas.
Inspirador e agradável... Muito recomendável...
Vários autores: Maria Peixe Dias + Inês Rosário + Bernardo Carvalho >> Planeta Tangerina.

quarta-feira, 19 de Março de 2014

Um sonho chamado Arrábida

Depois de vários meses sobre fortes temporais, a Primavera está instalada.
Os dias amenos, sol e muita actividade nos campos e nos mares anunciam o início de uma nova época de procriação.
Para muitas espécies é o momento de procurar parceiros, reatar laços de proximidade e intimidade, para outros é a fase de construir os ninhos e escolher as tocas para mais uma ano de reprodução.
A serra da Arrábida está cheia de actividade. As paisagens já estão magníficas, mas ainda vão crescer em qualidade, cores e número de animais.
Neste últimos dias o Portinho da Arrábida tem estado no seu pico de "exuberância"...  águas cristalinas, mar parado, ausência de vento e sol em quantidade para realçar toda esta beleza.
Já aqui escrevi uma vez, quanto mais caminho na serra da Arrábida menos a conheço... e de facto estou sempre a ser surpreendido como novos encontros, com novas visões de alguns cenários conhecidos.
Se querem ver a Serra e o Mar da Arrábida em "grande forma" é agora por estes dias...

quarta-feira, 12 de Março de 2014

Quanto mais trabalho, mais sorte tenho...

Duas milhas ao norte da ilha de Sta. Maria, nos Açores a água do mar parece fervilhar! Uma mancha negra com cerca de quinze metros de diâmetro desloca-se junto da superfície em direcção a nascente. Em sua perseguição dorsos escuros rasgam a água em rápidos movimentos, parecendo golfinhos em navegação.
Deixo-me cair suavemente do semi-rígido para a água azul e transparente. A primeira visão subaquática é arrebatadora, uma bola de milhares de pequenos carapaus avança na minha direcção. 
A silhueta monocromática de tantos peixes juntos, lembra-me um cometa, sendo a "cauda" constituída por centenas de atuns rabilhos que perseguem o seu almoço. 
Indiferentes à minha presença, peixes com cerca de duzentos quilos passam à frente da objectiva. A atenção dos rabilhos está totalmente focada na bola de peixe, que é destroçada a cada investida destes gigantes oceânicos. 
O ataque é massivo, aos poucos, centenas de atuns desmantelam a bola de isca, deixando para trás apenas uma constelação de escamas.
Esta visão em Setembro de 2013 é um bom sinal da abundância desta espécie Thunnus Thynnus nas águas dos Açores. Os registos mais recentes de grandes concentrações destes peixes nos Açores remontam aos anos de1997 e 1998.
Entre o deslumbre, a surpresa e a necessidade de registar o momento quase fico perdido sem saber para onde apontar a câmara. "Tenho de focar um alvo" múrmuro eu com a minha caixa estanque. E os rabilos continuam a passar... Dezenas e mais dezenas!
Aponto a objectiva a um grande animal, foco e faço algumas imagens. Volto à superfície e continuo a disparar a câmara. Recupero apressadamente o fôlego e volto a descer, o cardume continua a passar, compacto. Já perdi a noção de números, mas por baixo de mim já passaram mais de cem animais.
Tudo é muito rápido, mas consigo fazer mais umas imagens. Olhando para os lados e para baixo vejo muitos atuns, calmos, lindos, enormes, robustos.
Setembro 2013 - Apoio: Centro de Mergulho Paralelo 37


sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Livros de uma vida V

Um dos bons livros que não me canso de ver e rever.
Grande trabalho, bonita e completa colecção de imagens de Peter Beard.
Já muito sonhei à conta do que vi deste artista.
Para quem gosta de fotografia, arte, Africa e animais, este é um livro de referencia e muito recomendável. Para quem não conhece o notável e vasto trabalho deste autor, aqui fica o link para o site do Peter Beard...

terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014

Reportagens para recordar...

Durante os anos de 2000 a 2006 acompanhei de perto alguns casais de águia-de-boneli.
Existiam vários biólogos no terreno a estudar esta espécie. Principalmente por terras do Sul.
Na altura acompanhei a nidificação de um casal que criava em rocha (2002 e 2003).
Também no início do novo século ainda trabalhava com filme de diapositivos, o que exigia mais do fotógrafo. As horas de luz e sombra no ninho eram estudadas ao detalhe (hoje com ISO altos disponíveis nas câmaras já pouco interessa saber quando o ninho está à sombra...). A câmara com motor adicional para avançar filme era sempre "lento". Os rolos tinham apenas 36 exp. o que me condicionava muitas vezes a gestão das "rajadas" fotográficas quando os adultos chegavam e partiam do ninho.
Apesar de muitos condicionalismos da época, as imagens iam aparecendo e o trabalho evoluía, marcava, emocionava e resultava.  A partilha com o grande público era uma missão cumprida.
Ainda hoje fico nervoso (de emoção) quando vou para dentro de um esconderijo e vejo de perto a mais bonita águia que voa no nosso pais.
Com o site renovado, a National Geographic Magazine - Portugal republicou agora a história desta bela ave de rapina.
Para "saborear" aqui NGM-Pt


sábado, 22 de Fevereiro de 2014

Uma história feliz...

Há muitas décadas atrás olhava-se para inúmeros animais do Parque Nacional do Yellowstone (EUA) como "bichos bons" e "bichos maus". O lobo estava fatidicamente no lote dos "bichos maus" tendo sido dizimado daquela área.  A falta de um predador de topo como o lobo, abriu espaço para os "bichos bons" como os veados, aumentarem de número e começarem a criar vários problemas ao Parque Nacional Yellowstone. Ao longo das sete décadas de ausência deste predador chegaram a ser feitas caçadas, matanças de mais de 3000 veados por ano, para tentar diminuir a população que destruía massivamente aquela área protegida.
Em 1995 voltaram a re-introduzir lobos no Parque. Foi a maneira mais "real" e quanto a mim a mais inteligente, de tentar reequilibrar um ecosistema degradado.
Este pequeno filme agora disponível no Vimeo, detalha este processo de forma muito simples e com imagens bonitas.
Um bom exemplo onde o Homem reconheceu o erro e tentou restabelecer o equilíbrio possível.
How Wolves Change Rivers


quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

A S S U S T A D O R

O rasto de lixo:: plástico deixado pelo Homem à face da terra é assustador!


















Quando vejo bastante lixo na praia, principalmente plásticos... acho preocupante, quando vejo "marés" de plástico com centenas de metros de extensão o cenário é mesmo assustador.
Esta semana e no início de uma jornada pedonal entre a Fonte da Telha e a Lagoa de Albufeira a "maré de plástico" era gigante. A variedade de porcaria era enorme.
No regresso do meu tour pelas arribas arenosas, já com a maré cheia, tudo tinha sido engolido novamente pelo mar... tudo voltava a navegar pelo Atlântico.
É assustador pensar nos milhões de toneladas de plástico que circulam nos oceanos. Os efeitos devastadores que estes materiais provocam em muitas espécies e em todos os ecosistemas.
E embora tenha observado este "ajuntamento"de plástico na orla costeira entre a Fonte da Telha e a Lagoa de Albufeira, ele existe por extensas áreas da costa portuguesa.
Pelo caminho encontrei ainda um arrojamento de um "monstro marinho de plástico"...

O "monstro marinho de plástico" era constituido por materiais
de várias origens

domingo, 16 de Fevereiro de 2014

No palco dos sonhos...

Já não é novidade para ninguém, que as águas dos Açores são potencialmente mágicas para revelar animais surpreendentes, imagens maravilhosas, histórias incríveis, ou ciência ao mais alto nível. O que me encanta em cada ano que passa são os conteúdos que nos vão sendo oferecidos por inúmeros sectores que produzem conhecimento, quer através da ciência, quer através de filmes de história natural, quer através de outras expressões artísticas.
Aqui ficam algumas ligações em torno de um animal notável, perfeito, com uma força bruta incrível, belo e ainda com muitos mistérios por serem revelados.
O atum rabilho é o centro das atenções nestes links...

Um filme inspirador de Rick Rosenthal
https://www.youtube.com/watch?v=wptKAOTy3uY

Uma ilustração interactiva sobre o grande atum, sujeito principal de um grande artigo na National Geographic Magazine de Março (versão USA e Portugal)
http://ngm.nationalgeographic.com/2014/03/bluefin-tuna/superfish-interactive

Em breve irei escrever algumas linhas sobre o meu cara a cara com este grande peixe do azul...

quarta-feira, 12 de Fevereiro de 2014

Inspirações I

Porque nem só de bichos vive um homem, aqui fica um clip/video muito bem feito e inspirador.
Técnicamente não é difícil fazer este trabalho de Time Lapse (não confundir trabalhoso com difícil).
É típico dizer que uma tarefa é difícil, quando na realidade o que é necessário fazer... é trabalhar muito.
Neste video a nota máxima vai para o "argumento".
A ideia, a realização, a montagem e a eficácia da mensagem, produto visual final é soberbo.
Este video é um bom exemplo de como é possível fazer a diferença com técnicas simples mas muito bem usadas e conjugadas.
Hoje em dia as técnicas de Time Lapse são sobejamente conhecidas, os equipamentos fáceis de adquirir, o que faz mesmo a diferença nos bons Time Lapse, são as ideias, os sujeitos, os temas e como eles são abordados. Perdoem-me a franqueza, mas ver 5 min de nuvens a passar depressa já não chega...
Video aqui.
https://www.youtube.com/watch?v=Pv-Do30-P8A#t=192

domingo, 9 de Fevereiro de 2014

Para ver e rever... Alive

Já é de 2013, mas sem dúvida um dos excelentes programas que vi no final do ano passado. A qualidade da imagem, a iluminação, a narrativa, as animações, as histórias de cada animal, entre outros detalhes, fazem desta peça única um grande evento. A NÃO PERDER.... uma das referencias neste domino dos filmes de história natural. ALIVE :: Sky


sexta-feira, 31 de Janeiro de 2014

Pela 1º vez

Depois de uns dias pelo Parque Natural do Douro Internacional, fui até ao Parque Natural de Montezinho.
Pela 1º vez em muitas visitas que fiz a este espaço classificado encontrei as montanhas cobertas de neve.
Foram muitas horas de acção na procura de bonitos sopts para retractar aqueles cenários do norte de Portugal. A meio da tarde a chuva e alguns sol acabou com o encanto, derretendo a maioria do manto branco que cobria o topo da serra principal.
Antes de descer a serra pelo vale do rio Sabor passei ainda pelo café da aldeia de Montezinho.
Uma bela sopa do campo e um presunto da região deu-me ainda mais inspiração para a fase seguinte. Fotografar rochas de xisto.
Já vi muito xisto em Portugal, mas algumas lajes perto da nascente do Sabor deixaram-me completamente extasiado e viciado nas pedras. Havia um polimento, um brilho, uma paleta de cores invulgar. Quanto mais procurava mais encantado ficava, não via fim ao trabalho fotográfico.
Tive mesmo de criar um tempo limite para seguir caminho.
Durante bastante tempo da viagem de regresso à "base" em Bragança, ainda pensei na qualidade e diversidade de enquadramentos possíveis com aqueles xistos.
Pensei como passei horas e horas de volta daquelas rochas.






segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014

Douro Internacional

A estudar e a fotografar as paisagens do Douro Internacional para futuros artigos em publicações portuguesas.
Apesar dos dias serem chuvosos, quando aparecem rasgos de luz a paisagem transforma-se, ganhando profundidade e volume.


sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

3 Dias :: Centenas de Crianças

Foi um prazer partilhar com centenas de crianças do concelho de Vouzela o nosso fantástico património natural. Foram três dias a falar de animais terrestres, marinhos, plantas, cenários naturais que o nosso pais tem para nos regalar e encher de orgulho.
Gostei muito destas horas de convívio com tantas crianças de diferentes idades e níveis de conhecimento.