terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Já em acção...

"Filmes institucionais vs. filmes de história natural". Duas abordagens, o mesmo objectivo: despertar o interesse pela natureza nos espectadores, desta vez os mais novos.
Como habitual, a programação do Cinclus contempla palestras às escolas do concelho de Vouzela na semana que antecede o festival.
Para 2015, no V Cinclus, mostramos alguns tipos de filmes de natureza com formas diferentes de contar as histórias relacioanadas com os animais e respectivos habitats. Abrimos depois a troca de ideias com os mais novos sobre a produção deste tipo de filmes com a projecção de peças de bastidores pelos fotógrafos/realizadores Luís Quinta e Ricardo Guerreiro.


domingo, 18 de janeiro de 2015

Final do mês... 31 Janeiro.

Mais uma edição do Festival de Imagem de Natureza de Vouzela está lançada.
A não perder, pois vão ser abordadas temáticas, contadas histórias e ensinadas técnicas fotográficas muito interessantes.
Mais detalhes, programa e oradores convidados aqui: Cinclus Fest.


domingo, 4 de janeiro de 2015

Web :: Grupo do Risco

Foi lançada no início do ano a nova página do Grupo do Risco.
Vale bem a pena uma volta pelo sitio para conhecer o trabalho e os projectos deste grupo de pessoas.
Um bom ano de 2015 para quem me vai lendo e seguindo neste espaço.



segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Último passeio do ano 2014

O meu último passeio de 2014 foi à arriba fóssil da Costa da Caparica, concretamente à zona da Fonte da Telha. Em cada visita que faço, o cenário muda ligeiramente, a erosão é constante e os padrões, texturas, cores alteram-se.


quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

domingo, 23 de novembro de 2014

Canadá... ??

Em 2012 fui até à Serra da Estrela para fotografar o Outono, tal como já tinha feito em anos anteriores no Gerês, Montesinho, Alvão, entre outras áreas naturais com vastas florestas em Portugal.
No entanto cheguei "tarde"... isto é, já tinha passado o "pico" do Outono e muitas arvores já não tinham folhas.
Muitas zonas da floresta já estavam completamente "despidas"...
Este ano tentei não falhar o "pico" do Outono na serra mais alta de Portugal continental... e consegui!
As paisagens estão deslumbrantes e em muitos locais as encostas coloridas recordam-me o Outono no Canadá e Estados Unidos da América.
Esta imagem foi captada muito perto de Manteigas em pleno coração do Parque Natural da Serra da Estrela.


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

No olho do furacão...

Esta é a semana de ver, inspirar e conhecer muitas coisas novas no domínio da imagem de história natural.
Por agora circulo pelo Wildscreen Film Festival em Bristol. Está aqui tudo… os grandes productores, operadores de câmara, realizadores, músicos, equipamentos, televisões de vários países, entre muitos outros sujeitos. De manhã à noite há palestras, filmes, debates, workshops e muitos outros eventos relacionados com a temática da natureza e a imagem.
No fim de semana sigo para Londres para o Wildscreen Photography Festival. Onde irei encontrar muitos fotógrafos de renome, equipamentos e dezenas de palestras.
Estes dias são fundamentais para acompanhar o que se vai fazendo com a imagem de história natural, que equipamentos estão disponíveis, e ter uma ideia do que ai vem. Que novas produções estão na calha… que caminhos/tendências estão a ser escolhidos para os próximos anos.
Em todos os palcos a palavra "conservação" é tónica de conversas e debates.

Um dos "brinquedos" para chegar mais perto dos sujeitos...


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Mais um bom livro...

Antes de ir para os Açores já o tinha visto nas livrarias, mas foi apenas na semana passada, depois da jornada em pleno coração do Atlântico que comprei o livro.
Hoje comecei a ler "Da minha terra à Terra" de Sebastião Salgado.
É muuuito interessante e acho que o vou terminar esta noite (estou a meio).
Recomendo vivamente, quer pelos relatos, quer por algumas ideias sobre a fotografia e a vida.
Muito fácil de ler e "visualizar" as histórias que descreve.


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Medusa da lua

Após vários dias a navegar pelas águas de Stª Maria, o maior peixe do planeta teima em não se cruzar comigo. Não foram avistados muitos animais desde que aqui cheguei aos Açores... se bem me recordo apenas um.
Apesar de já ter visto jamantas, wahoos, espadim, atuns, entre outros animais de grande porte, as imagens que me emocionam tem sido realizadas com criaturas banalissimas e pouco fugidias, como por exemplo medusas...
Esta medusa-da-lua Aurelia aurita  tem sido um dos meus sujeitos de eleição.
A dificuldade na captação destas imagens não está no comportamento do animal, mas sim na tarefa de encontrar um indivíduo em boas condições. A quantidade de organismos marinhos que se alimenta destas medusas é enorme e descobrir uma medusa-da-lua de bom porte sem estar muito fragmentada, destruída, ou mutilada, não é fácil.
Após muitas horas à deriva consegui encontrar dois destes "discos voadores" em condições para serem fotografadas...
Esta imagem foi captada apenas com luz natural.
Saídas de mar apoiadas pelo centro de mergulho Paralelo37

Medusa-da-lua :: Stª Maria :: Açores

sábado, 9 de agosto de 2014

Onde está... ?

Onde está o linguado? Peixe típico de fundos arenosos... este exemplar que aqui apresento não teria mais de 12 cm.
Junto dos blocos rochosos da Costa da Caparica por vezes aparecem bons linguados (mais de 600-700grs.), este seria ainda um "juvenil"!
Nesta imagem apenas se vislumbram os olhos deste peixe achatado, o resto do corpo está enterrado na areia...

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Mais detalhes da Caparica...

Como o mar tem estado generoso e com águas minimamente cristalinas à porta de casa, tenho continuado a mergulhar aqui na Costa da Caparica...
Com os olhos bem atentos para os pormenores, vou encontrando mais espécies de nudibrânquios... Desta vez deparei-me com este vistoso animal.

Segundo o João Pedro Silva (quem me ajuda a identificar estes pequenos seres...) 

"Spurilla neapolitana - Pela coloração, deve ter comido actinías (comem anémonas de várias espécies). Normalmente encontro-os mais castanhos por causa das outras anémonas (Anemonia viridis, Aiptasia mutabilis). Estes são movidos a "energia solar": as anémonas possuem algas microscópicas nos tecidos com as quais vivem em simbiose (zooxantelas). Quando o nudibrânquio come as anémonas, não digere as algas (não se sabe como...) e passa a inclui-las nos seus tecidos... e elas continuam a fazer fotossíntese. Estes nudibrânquios com muitos processos no corpo, "cerata", normalmente possuem cores dependentes do alimento (aliás, na maior parte dos casos, o que vemos é a glândula digestiva dentro dos cerata já que a parede é translúcida ou transparente)."


Spurilla neapolitana


quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Rio Encantado

Numa curta viagem pelo Norte de Portugal e numa breve visita ao Rio Frades (local que irei revisitar com MUITO mais detalhe em próximas ocasiões...) tive tempo de registar alguns detalhes de rochas multi-coloridas e com desenhos muito interessantes.
Há muitas rochas bonitas e com bons padrões, mas algumas são verdadeiras obras de arte... só é necessário caminhar, caminha, caminhar... e procurar...



terça-feira, 5 de agosto de 2014

Nunca tinha visto tal bicho...

O enchimento das praias da Costa da Caparica com areia, tem condicionado os mergulhos no meu "estúdio" ... Após várias semanas, hoje vi pela primeira vez a água com alguma transparência.
Mais junto à areia ainda há muito "poalho"... (terá de chegar um temporal, ou ondas com 3 metros para limpar o fundo)... apesar de tudo deu para fazer uns bons mergulhos em apneia...
Além de uma espécie de nudibranquio (nova para mim nestas paragens!) observei vários Coryphoblenius galerita. 
Nesta época do ano há muitos, de vários tamanhos e tonalidades. 
Este exemplar será provavelmente um macho com cores "nupciais"... garridas, exuberância para encantar as fêmeas (mais discretas).
Obrigado à bióloga marinha Ana Pego que me identificou a espécie.